Se não agora, quando?

Eu estava a trabalhar com uma Mãe maravilhosa, aberta e dedicada, cuja filha tem 14 anos e está no espectro do autismo. Estávamos a falar sobre a noção de abraçar e amar o fato de a vida que tem com a filha ser diferente do que ela esperou que viesse a ser.
Quando pegou pela primeira vez na filha ao colo, ela imaginou a adolescente e a adulta que ela se tornaria. Que a vida dela seria
cheia de amigos, namoro, casamento e conversas de raparigas.Hoje a filha dela é uma jovem linda e vibrante que adora os “Telly Tubbies” e palhinhas. Embora seja extremamente vocal fazendo montes de sons musicais, não tem as conversas de raparigas com que a mãe sonhou.

Ao falarmos sobre largar o velho sonho sobre a filha e abraçar a filha amorosa que na realidade tem hoje, ela disse sim, estou pronta para isto. Quando lhe perguntei suavemente porquê, ela respondeu: “Porque se não agora, quando? Isto é algo que melhorará a vida da minha filha e a minha, já passaram 14 anos – é hora.”

Ao dizer isto, eu pude ver um peso a levantar literalmente dos ombros dela e todo o seu corpo se tornou mais leve e vibrante.

Há algo na sua vida que tenha querido que fosse diferente ou que tenha querido largar por uns tempos?
Se não agora, então quando?
Do que é que está à espera?