Divirtam-se a falar com as vossas crianças!

A comunicação verbal pressupõe a existência de duas componentes: alguém a falar (seja verbalmente ou não) e alguém a ouvir. Recentemente escrevi um curto blogue acerca da forma como falamos com as nossas crianças. Esta semana, no The Son-Rise Program® Intensivo, tivemos o anjinho mais fofo com autismo. Ele tem 9 anos, cabelo preto e adora brincar com o selo de um cartão de gelado premiado. Ele tem um vocabulário constituído por cerca de 10 palavras claras e um grito muito agudo que utiliza para transmitir a urgência de uma necessidade. Ele ainda tem de aprender que nós não entendemos gritos, aqui na casa do Son-Rise. 🙂 Apesar de não dizer muitas palavras e não conversar, ele tem mostrado que consegue perceber claramente tudo o que dizemos.
As nossas crianças podem achar que formar palavras e frases é um desafio, mas isso não significa que elas não compreendam o que nós dizemos. Aqui no The Autism Treatment Center of America nós observamos vezes e vezes sem conta que crianças que ainda não falam nos entendem.
O que é que podem fazer com esta informação? Falem com as vossas crianças. Falem com elas como se estivessem a falar com uma pessoa com um discurso normal. Digam-lhes o que está a acontecer, expliquem-lhes detalhadamente onde é que vão e porque estão a ir para lá.
Se as vossas crianças tiverem de tomar medicação, expliquem-lhes ao pormenor como é que a medicação as vai ajudar. Se não quiserem que elas façam algo como despejar todo o shampô dentro da banheira, façam-nas perceber porque não querem que elas façam isso.
Se as vossas crianças resistem a fazer transições de um lugar para o outro ou recusam a tomar medicação, isso pode acontecer apenas porque ninguém lhes disse o que se estava a passar. Se lhes explicarmos detalhadamente, elas não só irão saber, como irão entender que tudo o que estamos a fazer é a cuidar delas e a ajudá-las.
Parem algum tempo para pensar num lugar onde a vossa criança possa estar mais controladora e resistente e percam tempo a explicar-lhe a situação com mais detalhe. Poderão ficar surpreendidos com a resposta dela.

Divirtam-se a falar com as vossas crianças.

Com muito amor, Kate.

Kate Wilde, Professora do The Son-Rise Program® no Autism Treatment Center of America