Testemunhos Facilitadores

Um minúsculo menino de três anos de idade, no mais pequeno par de jeans, olha, com uma expressão vazia no rosto, para uma parede. As suas mãos tocando levemente a parte de trás dos seus jeans. Tão imóvel e silencioso como o seu olhar para a parede. Ao lado dele, uma facilitadora do Programa Son-Rise olha para a parede, com as mãos tocando levemente a parte de trás das suas calças de jogging. Tão imóvel e e silenciosa como o seu olhar para a parede. Um minuto passa, nenhum deles se mexe ou fala. Dois minutos passam, nenhum se move ou fala. Três minutos passam, não se mexem nem falam. Quatro, cinco, seis e sete minutos passam. Nem um movimento nem uma palavra é criada ou partilhada.
  • Só o olhar e a quietude unem os dois.
  • No oitavo minuto, o pequeno menino vira-se para a facilitadora do Programa Son-Rise e diz: “Muda a minha fralda.”. A facilitadora do Programa Son-Rise desfaz-se em sorrisos e aplausos pela bela comunicação desta criança, e sendo a pessoa amigável e útil que ela é, verifica a fralda para ele.
  • Depois de tal estar feito, o pequeno menino volta a olhar para a parede, tão quieto e silencioso como o seu olhar. A facilitadora do Programa Son-Rise também vai voltar a olhar – tão quieta e silenciosa como ela a juntar-se a este pequeno menino.
  • Um minuto, dois minutos, três minutos, quatro e, depois, cinco minutos passam. Nenhum movimento ou palavra é partilhado. Apenas o olhar e o silêncio os une.
  • No sexto minuto, este pequeno menino vira-se para a facilitadora do Programa Son-Rise e diz: “dum dum dum dum algo dum comer.”
  • A facilitadora, novamente cheio de sorrisos, alegria e celebração para com esta comunicação, com o seu jeito simpático, corre para arranjar algo para este adorável menino comer. Nos oito minutos seguintes eles jogam um jogo de comer juntos, este minúsculo menino segura a mão da facilitadora, deixa-se ser levantado e beijado na bochecha e mão e diz uma frase de cinco claras palavras: “Dê-me algo para comer. “.
  • Esta interação foi iniciada e liderada por este pequeno menino. Quando permitimos que os nossos filhos nos mostrem o caminho, quando lhes damos a oportunidade de nos dizerem quando estão prontos para a interação, a qualidade de como participam e jogam connosco é mais profunda. A sua aprendizagem é mais significativa e sustentada.
  • Deixe os seus filhos liderar e traçar o caminho!
Autism Treatment Center of America | http://www.autismtreatmentcenter.org/