25 results for month: 11/2015


Como viajar pelo mundo com a sua criança?

Há algum lugar que sempre sonhou visitar? Então, vá lá com a sua criança! Mas não a sério, tonto! Na sua sala de jogos do Programa Son-Rise®!Arranje materiais, fotografias, alimentos, etc. do lugar que gostava de visitar. Diga, antecipadamente, à sua criança com ‪#‎autismo‬‬ que vão fazer uma viagem imaginária especial. Faça-o com emoção e antecipação. Depois, traga todos os materiais para a sala de jogos e explore a cidade, o país ou a ilha com a sua criança!Raun K. Kaufman

Tem dificuldade em conseguir que a sua criança participe?

Eis uma solução em 6 passos: 1) Primeiro, analise a sua atitude. Se se sentir desmotivado quando a sua criança com ‪#‎autismo‬‬ não está interessada no seu jogo ou na sua atividade, pode sentir necessidade do interesse ou participação da sua criança. As crianças no espectro vão entender desta carência como uma pressão. Isto vai fazer com que façam tudo o que puderem para evitar serem pressionados ou controlados, o que irá aumentar as hipóteses de se DESobrigarem da atividade, ou mesmo de a descartarem. 2) Depois de analisar a sua atitude, analise-a novamente. :) Por vezes as pessoas dizem-me coisas como “Eu sei, sem ...

Está a bloquear a criatividade que pode ajudar a sua criança?

Tem dificuldade em inventar jogos e atividades para fazer com a sua criança? Toda a gente tem!Foi por isso que abordei esse tema no meu livro, ‪#‎AutismBreakthrough‬‬ (Capítulo 4). Esta é uma questão que inquieta muitos pais e educadores. Não faz mal, porque temos boas notícias.É criativo. É! Pode é não saber ainda. Por agora, vamos só experimentar uma coisa: pare de dizer a si mesmo que não é criativo. Por favor? Por favorzinho? Mesmo que isto pareça banal, na verdade, é o primeiro e o mais importante passo. E o que falha muitas vezes.Pode conhecer pessoas que considera mais criativas do que você. Mas adivinhe: elas ...

Os comportamentos repetitivos das nossas crianças: “STIM” ou “ISM”?

No programa Son-Rise®, denominamos os comportamentos repetitivos, e por vezes solitários, das nossas crianças de «ismos» em vez de «stims». Porquê?A palavra «stims» deriva de “comportamentos de autoestimulação” e, por vezes, ao longo dos anos, era utilizada de modo pejorativo para indicar comportamentos de que as pessoas não gostavam e queriam erradicar.A palavra «ismo» não tem essa conotação e bagagem histórica. Isto é importante porque sabemos que as crianças com ‪#‎autismo‬‬ fazem os seus ismos por motivos importantes, e queremos abordar cada ismo com um sentido de aceitação e curiosidade sem julgar - é por isso ...

A nossa atitude importa…

“A nossa atitude e o estado emocional podem dar o impulso para que uma criança mais desafiante chegue até nós... Ou pode servir para afastar essa criança.”Retirado de "Autism Breakthrough", de Raun K. Kaufman

Picuinhas a comer? Não há problema!

Se a sua criança tem problemas com a comida, podemos mostrar-lhe várias estratégias que podem ajudar IMENSO. Mas qual é o primeiro e mais importante passo? As três palavras a reter que resumem o comportamento alimentar: “Não há problema!” Relaxe, descontraia-se, deixe de lado a necessidade de controlo e divirta-se. A sua criança quer comer sentada no chão em vez de à mesa? Não há problema! A sua criança quer comer às 14h em vez de ao meio-dia? Não há problema! Deixe que a sua criança coma quando quer e como quer. Não force. Não pressione. Descontraia-se. Não ameace. Divirta-se. (Isto não significa que a sua ...

“AUTISMO” VS. “AUTISTA”

As pessoas que criaram estes pins/ posters adoram as suas crianças. Por isso, o que é que importa qual é a palavra que usam?Já vi pessoas a desperdiçar muito tempo e energia a tentar que outras pessoas usem a palavra “certa”. Já vi pessoas ficarem ofendidas quando alguém usa a palavra “errada”.Mas aqui está uma coisa interessante: nem sempre é a mesma palavra que aborrece as pessoas. Há mais pessoas no lado das que querem eliminar o uso da palavra “autista”, porque consideram que esta transmite que o ‪#‎autismo‬‬ é uma parte do que as nossas crianças são. Mas, neste momento, o autismo É uma parte do que as nossas ...

Compreender que as pessoas com autismo nos compreendem

Diálogo escrito entre mãe e filha:"- Ter autismo faz de mim uma pessoa má?- Porque é que perguntas isso?- Os adultos estão sempre a dizer que é difícil ser mãe ou pai se o filho tiver autismo e dizem na televisão que se tens autismo magoas as pessoas; e que as crianças que têm autismo têm que ser metidas numa prisão ou amarradas para garantir a segurança dos outros.- Achas que isso é verdade ou que eu diria uma coisa dessas?- NÃO!- O que é que tu achas?- Eu não quero magoar ninguém. Eu não gosto de estar assustada. Eu ficaria assustada numa prisão. Eu nasci com autismo mas isso não quer dizer que eu nasci sendo uma pessoa má. ...

MENINA TRISTE…uma Índigo

Autismo...uma profunda e rica sombra da humanidade. Como uma profunda Índigo. Mesmo que nem sempre entendamos, podemos amar.Mesmo que ainda não saibamos o que fazer exatamente, podemos amar.Mesmo que não saibamos o resultado, podemos amar.A menina triste, não é só triste... é Índigo, diferente, fantástica, merecedora de admiração e do nosso mais caloroso abraço.Se tem um filho ou uma filha com autismo, é abençoado (sim, abençoado independentemente do que outros possam dizer)... e pode AMAR!  De uma forma otimista, com esperança e amor, Bears Barry Neil Kaufman, cofundador do Autism Treatment Center of America e do Programa ...

Porque é que a sua criança anda nas pontas dos pés? ?

A sua criança anda muito nas pontas dos pés? Não é a única. Muitas crianças neste espectro fazem isso. (Quando tinha autismo também o costumava fazer!) Em muitos casos, as pessoas tentam de tudo para parar com o andar nas pontas dos pés e, por vezes, é sugerida a cirurgia. No Programa Son-Rise®, a nossa missão é sempre tentar perceber primeiro. Relativamente ao andar nas pontas dos pés existem várias teorias/ possibilidades:1) Hipersensibilidade tátil, em que a criança acha que a pressão na parte inferior dos pés ou do calcanhar é desagradável e a tenta evitar;2) Um sistema propriocetivo hipossensível, que enfraquece a ...