Os comportamentos repetitivos das nossas crianças: “STIM” ou “ISM”?

No programa Son-Rise®, denominamos os comportamentos repetitivos, e por vezes solitários, das nossas crianças de «ismos» em vez de «stims». Porquê?
A palavra «stims» deriva de “comportamentos de autoestimulação” e, por vezes, ao longo dos anos, era utilizada de modo pejorativo para indicar comportamentos de que as pessoas não gostavam e queriam erradicar.
A palavra «ismo» não tem essa conotação e bagagem histórica. Isto é importante porque sabemos que as crianças com ‪#‎autismo‬‬ fazem os seus ismos por motivos importantes, e queremos abordar cada ismo com um sentido de aceitação e curiosidade sem julgar – é por isso que nos juntamos a eles!
Além disso, nem todas as crianças praticam um ismo pelo mesmo motivo. Sendo possível que algumas crianças possam ter um ismo como forma de “autoestímulo”, muitas outras podem ter um ismo para se acalmarem, focarem e ajustarem os seus sentidos, ou simplesmente porque encontraram algo de que realmente gostam! 
Não sou uma pessoa que passa o tempo a tentar impor regras de PC. Não se trata de obrigar as pessoas a usar determinadas palavras. É importante porque a perspetiva do “ismo”, em todo o mundo, é a que nos inspira a tentar ‪#‎entender‬‬ em vez de forçar a mudança nas nossas crianças. Apoiar os ismos em vez de os parar. Amar, respeitar, honrar e abraçar os interesses e comportamentos das nossas crianças em vez de os tentar erradicar.


Raun K. Kaufman