Birras nunca mais (a sério!)

O seu filho grita, bate, belisca ou atira objetos quando as coisas não correm como ele/ela quer (ou às vezes por uma razão qualquer que não lhe passa pela cabeça)?

Aqui fica o que deve fazer:

  • A Primeira Metade: Não Compreendo Birras
  1. PRIMEIRO ATITUDE.
    É absolutamente crítico que a sua missão de vida seja manter-se calmo/a, tranquilo/a e a sentir-se bem. Não estou a falar de AGIR à vontade.
    Estou a falar de se SENTIR bem. Se precisar de ajuda sobre este ponto, ligue-nos. Mas aqui fica uma dica inicial:Não interprete o que quer que o seu filho esteja a fazer como tendo a ver consigo.
  2. FAÇA-SE DE TONTO.
    Torne-se numa pessoa confusa que tenta (mas quase sempre falha) ajudar. Faça uma cara de quem está confuso. Diga coisas do género: “Não tenho a certeza do que queres quando bates/gritas/choras”.
  3. DEVAGAR, SEM BARULHO &  SUAVEMENTE.
    Vá tateando para tentar perceber o que quer o seu filho durante uns minutos. (Mas certifique-se de que vai devagar, sem barulho e suavemente). Contudo, não faça isto eternamente. Se o choro, ou o que quer que seja, continuar, pode afastar-se (assumindo que a situação não é perigosa).
  4. SEM VINGANÇAS.
    Lembre-se, primeiro a atitude. Isto não tem nada a ver com impingir algo ao seu filho ou discipliná-lo. Isto tem a ver com o facto de você não compreender choro, bater ou gritar.
  • A Segunda Metade: Mas EU Compreendo SIM a Linguagem & Delicadeza
  1. ALIMENTE A DELICADEZA.
    Encontre QUAISQUER desculpas ao longo do dia para fazer um grande estardalhaço quando quer que o seu filho faça alguma coisa que possa ser vista como dócil – a si, ao irmão/irmã, ou a quem quer que seja. Dê vivas. Dê pulos de alegria. Celebre. Passe-se um bocadinho.
  2. LIGUE O TURBO NA SUA RESPOSTA À LINGUAGEM.
    Quando quer que o seu filho utilize a linguagem (de uma forma não chorosa ou lamurienta) – mesmo que seja apenas uma tentativa de dizer parte de uma palavra – dispare para ir buscar o que ele quer (e sim, dê também vivas, pule, celebre e passe-se). Mostre ao seu filho como até tentar usar a linguagem é eficaz! (Se o seu filho quiser algo que não lhe pode dar, celebre com enorme aparato e ofereça outra alternativa).
  3. MANTENHA-SE CONSISTENTE.
    Lembre-se: Você apenas compreende linguagem de delicadeza. Você não compreende (e não está alterado/a por) gritos, berros, mordidelas, etc.. (E lembre-se também de que não compreender o bater não significa que tem que ficar ali e deixar-se bater. Mas quando se afasta, mantenha-se calmo e tranquilo sobre o facto).
Raun K. Kaufman
Diretor da Global Education
Autism Treatment Center of AmericaTM