Princípios-Chave: A criação de um quarto de brincar para aplicar o The Son-Rise Program®

Os princípios do The Son-Rise Program® tornam-se ainda mais eficazes quando integrados ao dia-a-dia da criança. Eventos diários como as refeições, os hábitos de higiene e a hora de dormir representam ótimas oportunidades para encorajar o desenvolvimento social. Muitas crianças com autismo também necessitam de um ambiente especialmente construído para auxiliar na aceleração da aprendizagem. Sendo assim é fundamental criar um ambiente propício para trabalhar com a sua criança, começando com a construção de um quarto de brincar.

Cada família é diferente. Sendo assim, cada quarto de brincar também deve ser diferente. Mas há dois princípios importantes para a criação de um quarto de brincar em casa:
Poucas Distrações Sensoriais
Crianças com autismo tendem a apresentar dificuldades em filtrar e descartar informações sensoriais, o que pode levá-las a  distrair-se pelos vários sons, imagens, texturas e cheiros. Quanto mais conseguirmos simplificar o ambiente sensorial de uma criança, mais fácil será para ela focar em interações sociais e na aprendizagem de novas habilidades.
A Criança Obtendo o Controle
Devido à experiência de bombardeamento sensorial que crianças com autismo frequentemente vivenciam, elas costumam procurar oportunidades para que se sintam em controle do seu ambiente. Quando uma criança se sente em controle da situação, também se torna mais fácil para ela prestar atenção nas interações e aprendizagens sociais.
O Quarto:
O ideal é escolher um quarto silencioso, longe das principais atividades da casa ou das distrações vindas de fora da casa. Geralmente, os pais escolhem um quarto extra ou o próprio quarto da criança, mas isto não é uma regra. Cada família faz o melhor que pode com o espaço disponível em casa.
Se escolher um quarto, é importante que considere como irá minimizar as distrações neste quarto. Talvez você precise retirar alguns dos móveis ou assegurar-se de que tudo pode ser guardado em um armário durante as horas de atividades no quarto. Para algumas crianças, a cama pode ser um elemento de distração – elas podem querer se esconder debaixo das cobertas ou pular no colchão o dia todo!
Neste caso, você poderia remover a estrutura da cama e, durante a noite, manter apenas o colchão no quarto, o qual pode ser retirado durante o dia.
O quarto de brincar costuma ter em média cerca de 4m X 4m, apesar destas medidas não representarem um pré-requisito indispensável. Um quarto bem mais pequeno pode funcionar bem, especialmente para crianças mais novas. Quartos maiores também podem funcionar, mas tenha em conta que um quarto muito grande pode tornar mais difícil a tarefa de se manter a atenção de uma criança.
Diminua as distrações para a criança sentir que tem o controle:
Retire o máximo de móveis que você puder do quarto escolhido. O ideal seria que você retirasse todos os móveis, exceto uma mesa e uma (ou duas) cadeiras, de tamanho
apropriado para sua criança. Se o local escolhido for o quarto da criança e você não tiver para onde remover os móveis,  assegure- se de que todas as superfícies dos móveis ficam livres de objetos. As paredes do quarto devem ser pintadas com uma cor neutra. Cores fortes, contrastes ou estampas na parede podem ser elementos de grande distração para crianças com autismo. O mesmo é válido para o chão do quarto.
Vale a pena considerar qual seria o piso mais apropriado para o quarto, uma vez que existe uma boa hipótese de que grande parte do trabalho seja realizado no chão (especialmente com crianças mais novas). É importante que o chão seja confortável. Geralmente utilizamos piso de vinil para que seja fácil de limpar durante o trabalho. Há também outras opções de pisos macios, como aqueles utilizados em ginásios. Carpete pode funcionar também, principalmente se sua criança não costuma entornar líquidos no chão.
Nós recomendamos o uso de lâmpadas incandescentes neste quarto. Lâmpadas fluorescentes piscam (de forma imperceptível para muitas pessoas), mas as crianças com autismo frequentemente percebem e distraem-se com isto.
Neste ambiente, você não precisará impor tantos limites para a criança, pois ela estará em um ambiente seguro onde poderá fazer quase tudo, sentindo-se então em controle da situação. O ambiente também oferecerá para a criança a previsibilidade e segurança – um ambiente conhecido, onde apenas uma pessoa por vez interagirá com ela.
Móveis e Equipamentos:
Os móveis e equipamentos que  utilizará dependem da idade e necessidades sensoriais de sua criança. Para uma criança mais nova que gosta de correr, pular ou escalar, aconselhamos que  encontre uma maneira segura de oferecer estas atividades dentro do quarto. Uma forma de fazer isso é retirar toda a mobília desnecessária do quarto, mantendo apenas uma pequena mesa e uma cadeira para as refeições ou atividades como desenho, etc. Pode então arranjar equipamentos como um pequeno escorrega ou uma estrutura para escalar( existe à venda no IKEA), uma pequena cama elástica( à venda na Decathon)  ou duas grandes bolas de fisioterapia. Para uma criança menos ativa ou mais velha, pode arranjar uma mesa maior e um lugar confortável para se sentar.
Recomendamos o uso de um espelho de cerca de 1,60 m (altura) por 1,50 m (largura) colado de forma segura na parede a partir do chão ou rodapé. A principal função do espelho no quarto é estimular e facilitar o contato visual com a criança. O espelho também contribui para a aprendizagem de consciência corporal da criança. E ainda outra função seria a de facilitar a observação e gravação das sessões devido à multiplicação dos ângulos de visão.
Brinquedos:
A escolha dos brinquedos também depende dos interesses da sua criança. Mantenha o quarto livre de qualquer brinquedo eletrônico, isto inclui jogos electronicos, TVs, computadores ou qualquer outro brinquedo que utilize pilhas. Estes brinquedos ou equipamentos podem distrair e absorver uma grande parte da atenção das crianças. Lembre-se que o principal foco no quarto está na interação social.
Procure escolher brinquedos que possam ser utilizados de diversas maneiras. Por exemplo, brinquedos de pelúcia, fantoches, fantasias, instrumentos musicais e blocos de montar. Equipamentos de desporto são frequentemente úteis, como bolas, cestos de basquete,  ou pequenas raquetes.
Mesmo que sua criança ainda não esteja desenhando ou escrevendo, mantenha papel, canetas, giz e lápis disponíveis no quarto para que você possa desenhar figuras, escrever palavras e começar a encorajar sua criança a fazer o mesmo. Se sua criança já for capaz de participar em jogos mais estruturados (ex: jogos de tabuleiros ou cartas), você pode ter alguns destes no quarto também.
É importante que você inclua no quarto vários objetos que sua criança costuma utilizar durante comportamentos de isolamento. Se ela gostar de segurar pedaços de fios, tenha alguns tipos de fios no quarto. Se a criança gostar de alinhar carros de miniatura, tenha alguns destes disponíveis (não mais do que 10). Coloque todos estes brinquedos em uma ou duas prateleiras a uma altura de cerca de 1,75m. A intenção é que a prateleira esteja alta o suficiente para que sua criança precise de sua ajuda para alcançar os brinquedos, mas não alta de modo que criança não consiga ver quais são os brinquedos lá disponíveis. Para crianças mais velhas que conseguem alcançar tão alto quanto você, a altura da prateleira não é tão importante.
Sistema de Observação:
Se pretende ter outras pessoas a trabalhar no quarto com sua criança, arranje uma maneira de observar estas pessoas no quarto, para que você possa treiná-las com maior efetividade. A observação da sessão pode ser feita através de um espelho falso na porta do quarto ou um sistema de câmaras ligadas a um monitor fora do quarto.