Autismo e Intestino, qual a relação?

AUTISMO, DIETA E PERMEABILIDADE INTESTINAL. QUAL A RELAÇÃO?

Ter um intestino saudável é de extrema importância para a saúde em geral e é o ponto chave na diminuição da exposição tóxica, pois ele age impedindo a passagem de toxinas, proteínas mal digeridas, entre outros, para a corrente sanguínea (principal gatilho para a alteração do sistema imunológico é a entrada dessas substâncias na corrente sanguínea).

Intestino alterado por sua vez, causa má absorção, super crescimento de bactérias maléficas, presença de fungos, perda da permeabilidade/barreira de segurança que impede a absorção de substâncias indesejáveis.⠀

As crianças com TEA são mais propensas a sofrer sensibilidades alimentares, resultantes da má digestão dos alimentos, muitas vezes resultado do aparelho digestivo e imunológico enfraquecido. Também apresentam uma tendência a sensibilidades alimentares.

Este alimento muitas vezes por encontrar-se parcialmente digerido, na hora de passar para a corrente sanguínea pode causar um ataque auto-imune ou uma resposta semelhante a uma reação alérgica.⠀
Embora vários tipos de alimentos possam contribuir para o agravamento dos sintomas associados ao autismo, tipos específicos estão demonstrando um impacto mais significativo, dentre eles estão:

↪️Leite e laticínios
↪️Glúten
↪️Alimentos com conservantes, contaminados por inseticidas, pesticidas e metais pesados

A razão exata destes alimentos piorarem os sintomas associados ao autismo é desconhecida, porém várias teorias indicam que compostos podem impedir o metabolismo da serotonina ou contribuir para alterações gastrointestinais com desconforto tão grave, capaz de alterar muito o comportamento nesses pacientes.⠀
Estes problemas digestivos, podem ser reduzidos ou mesmo evitados através da eliminação certa dos alimentos desencadeadores.

📌Procure um nutricionista e descubra como a nutrição, associada as outras terapias, pode auxiliar na melhora dos sintomas do autismo.

 

Fonte: Clínica Multidisciplinar NUTRI CORPO