Inspire o seu filho a usar a comunicação verbal….

Inspire o seu filho a usar a comunicação verbal em vez de outras formas de comunicação ( PEC´S, Linguagem Gestual, App´s)

Quando temos um filho no espectro do autismo, deparamo-nos com tanta informação.
Há uma multiplicidade de abordagens e idéias diferentes que estão disponíveis. Muitas vezes sentimo-nos sobrecarregados na busca da melhor forma de apoiar o nosso filho da melhor maneira possível e ficamos perdidos com o que tentar e quando tentar.

Cada objetivo com o qual quer trabalhar com seu filho toma intencionalidade e está em contato com o que você acredita. Saber o que quer irá ajudá-lo a entender porque está a tentar uma estratégia específica e depois aprender as ferramentas para o fazer.

Se sonhar que o seu filho pode comunicar verbalmente os seus desejos e necessidades, ter conversas e expressar-se verbalmente, então será útil examinar as suas crenças de forma a conseguir tornar esse sonho, realidade. Então, quando estiver pronto para esse objetivo, terá uma ideia clara e estará focado em saber porque quer isso para ele.

Questione o seguinte:

1. Eu acredito que meu filho é capaz de aprender a comunicação verbal (mesmo que ainda não o tenham feito?)

2. Gostaria que ele usasse a comunicação verbal?

3. Estou preparado para fazer uma viagem com meu filho que exige dedicação e persistência?

Se você respondeu SIM a um ou mais dos itens acima, então, continue a ler.

Quando comecei a trabalhar com Autismo (há mais de 16 anos), não havia IPads / Tablets com idiomas e aplicativos de aprendizagem. Os itens que temos hoje, como as máquinas Talk Assist, os teclados especiais ou os dispositivos de comunicação Dynavox, não existiam e era uma coisa rara ver linguagem gestual a ser ensinado a qualquer criança que não fosse uma criança surda.
No entanto, o PECS (Picture Exchange Communication System) foi desenvolvido em 1984 e foi implementado, particularmente para crianças no espectro do autismo.
Actualmente, existem muitas opções diferentes para escolher.

Aqui estão algumas das perspectivas do programa The Son-Rise Program sobre essas outras formas de comunicação:

Uma vez que acreditamos que o autismo é um desafio socio-relacional, queremos incentivar e convidar à maior socialização possível. Isso significa que usamos qualquer oportunidade que tenhamos para promover, modelar e pedir uma comunicação verbal.

Quando nos aproximamos da linguagem no Programa Son-Rise NÃO É sobre aprender mais palavras, ampliar o vocabulário e corrigir a gramática … É sobre inspirar cada criança a AMAR o processo de comunicação verbal e vê-lo como apenas uma das maravilhosas maneiras de se conectar e envolver-se com outra pessoa.

Quando você usa essas maneiras alternativas de comunicar, pode se afastar do processo de interação humana e às vezes levar a menos oportunidades e / ou desejar que a criança tente se relacionar e se conectar conosco e uma propensão para que eles excluam pessoas e usem objetos ou máquinas em vez disso.

TEMPO de ECRANS

Quando as crianças estão conectadas em ecrans, dispositivos, eles podem usar esses itens de uma forma auto estimulante exclusiva, que é incrivelmente hipnótica e às vezes estimulante. Isso pode levar a que sejam mais desconectados e indisponíveis para interação social e o próprio dispositivo que começamos a usar para ajudá-los a comunicar pode ser usado como um de seus isms (stims- estereotipias). Eu trabalhei com inúmeras crianças e adultos no espectro que tinham estereotipias verbais de coisas que ouviram ou aprenderam diretamente dos ecrans. Esta não é linguagem comunicativa, mas estereotipias verbais.

PECS e LINGUAGEM GESTUAL

PECs e linguagem gestual são realmente projetados como uma ALTERNATIVA para a comunicação verbal, não uma adição a isso, para que qualquer pessoa que seja treinada para usar PECS com seu filho (no sistema escolar, terapias, etc.) fará isso com a mentalidade de substituindo-o pela palavra ou oportunidades para pedir linguagem e inspirar linguagem do seu filho.
Linguagem gestual é outro exemplo disto, se você estivesse pedindo e encorajando o verbal então, por que precisaria de um sinal. A imagem que as crianças mais tendem a usar é “mais” e “comer” e se somos buscadores de oportunidades de linguagem, então estaremos à procura de mais variações e ferramentas para que nossos filhos usem para que possam crescer além dessas duas coisas e realmente prosperar com outras crianças e em seus próprios relacionamentos, com suas famílias, irmãos, etc.

Nós dizemos – vá á procura do ouro! Vemos os pais de crianças no espectro e os terapeutas a ensinar crianças com 1 e 2 anos linguagem gestual e a utilizar os cartões PECS pouco depois disso.
Isso é, obviamente, feito com as melhores intenções e o desejo de ajudar a criança, no entanto, NÃO promove o uso da linguagem. Se isso estiver a ser feito com seu filho, então porque motivo ele se haveria de esforçar e se desafiar a fazer mais?
Então, se seus filhos estão a ser ensinados com estas formas alternativas de comunicação (com a crença de que seus filhos vão falar), então quem os está a ensinar será menos propenso a OUVIR qualquer discurso como sons ou palavras reais que seu filho possa fazer e não estarão à procura de oportunidades para ensinar linguagem.

Acreditamos que cada criança é capaz de aprender linguagem.

Não colocamos limite de idade para as crianças aprenderem – sabemos que é possível quer eles tenham 3, 13, 23 e até 53!

Aqui estão algumas perspectivas a seguir quando se trabalha a linguagem:

Seja persistente – É uma maratona, não uma corrida, dê-se tempo. Isto é sobre mostrar ao seu filho que qualquer coisa é possível. Você pode ser um modelo importante para ele sobre como você não desiste na primeira tentativa, nem na décima, nem na tentativa 500. Seja amoroso e apaixonado caçador de sonhos e mostre quão determinado você é para ajudá-lo a falar. Pense em quão incrível sua vida será com essa ferramenta, como ele obterá o que quer com mais facilidade e ganhará mais independência.

Trabalhe no contato visual e na capacidade de atenção interativa também! Então, há um equilíbrio do que foi trabalhado e apresentado ao seu filho. Muitas vezes, quando o seu filho está a olhar nos seus olhos, está envolvido consigo e motivado, a linguagem vem mais espontaneamente e as palavras começam a saltar.

Comemore tudo e qualquer discurso que obtenha, em vez de saltar adiante para pedir mais o tempo todo. O seu filho (e você) pode-se saturar quando o solicita com muita frequência. Dê-lhe daquilo que o motiva e de que gosta, dê-o livre e facilmente. Quanto mais o seu filho se sentir bem sucedido pelo que está a produzir, mais motivado e excitado estará para conseguir mais. Celebrá-lo irá ajudar a formar uma conexão mais forte e mostrar-lhe quão poderosos são os seus sons / palavras / frases.

Saiba que, seja o que for que escolher para o seu filho, está a faze-lo por um motivo e nós encorajamo-lo a fazer o que faz sentido para si. Se está ta ter sucesso com qualquer uma dessas formas alternativas de comunicação, então isso não é nada menos que maravilhoso!

Artigo por: Becky Damgaard
Professor Son-Rise Program®