Dicas & Soluções para Atrasos na Linguagem

Uma criança de dois anos é uma maravilha a contemplar. Semana para semana, e até mesmo de dia para dia, parece que a face e o corpo estão constantemente a transformarem-se e que a personalidade única do seu filho começa a revelar-se.

Mas e se o seu filho de 2 anos ainda não conseguir falar? E se você não consegue ver as mudanças dinâmicas e o crescimento que os outros pais vem com crianças da mesma idade… ou que já experienciou com os seus primeiros filhos?

Um atraso na linguagem não é necessariamente um sinal de que algo esteja errado. Enquanto nos especializamos a ajudar crianças do espetro do autismo, por favor entenda que só porque o seu filho ainda não fala, não significa que ele tem autismo. É apenas um único sintoma que pode aparecer em crianças saudáveis por variadas razões, incluindo a personalidade do seu filho ou as suas preferências.

No entanto, nós sempre incentivamos que em exames de rotina fale com o médico sobre o desenvolvimento da linguagem do seu filho… e se se começar a preocupar com o facto do seu filho de 2 ou 3 anos não falar e quiser encorajá-lo a desenvolver a sua linguagem, aqui terá sete passos para ajudar a melhorar a comunicação verbal do seu filho:

Primeiro passo. Seja claro no que quer exatamente ajudar.

Muitos pais são claros no propósito que pretendem atingir: uma criança que consiga comunicar claramente e que consiga construir frases completas. Embora as crianças aprendam por fases, seja claro em que fase da comunicação do seu filho quererá focar-se. Está a trabalhar com poucas e claras palavras, com frases de duas palavras, repete conversas ou na flexibilidade do tópico de conversa?

A linguagem é sobre relacionar algo a algo. Não é sobre palavras sobre eles próprios. No nosso próprio modelo de desenvolvimento de linguagem, focamo-nos em ajudar crianças que passem de chorar, de fazerem birras e usarem gestos físicos para se exprimirem… para usarem palavras pronunciadas. Nesta altura, continuamos focados em que as crianças deixem de falar poucas palavras (pronunciadas claramente) para um conteúdo mais vasto (substantivos, verbos, etc.) e tenham várias conversas. Nós queremos que as nossas crianças sejam capazes de comunicar o que querem, o que não querem, o que sentem e com o que se preocupam. Lembre-se sempre que o objetivo é relacionar o verbal com a comunicação, e aí, então, atingir o tipo de comunicação verbal que se quer focar com o seu filho neste momento.

Segundo passo. Crie momentos divertidos e atividades interativas interessantes com o seu filho.

As crianças são mais propensas a falarem de atividades que estão a experienciar no momento. Antes de tentar que o seu filho fale, assegure-se de que você e o seu filho estão envolvidos numa atividade interativa (por exemplo, soprem bolhas de sabão, faça-lhe cócegas, construam com blocos, cantem, conversem, etc).

Uma vez que você e o seu filho se estejam a divertir interativamente, introduza o seu objetivo adicionando o seu desafio ao jogo. Por exemplo, se você e o seu filho estiverem a soprar bolhas de sabão, parem por um momento e encoraje o seu filho a pedir por mais dizendo, ‘‘mais bolhas’’. A atividade será mais agradável para o seu filho e aumentará a probabilidade de que ele ou ela responda favoravelmente. (Nota: se o seu filho usa muito a comunicação verbal e está a ser muito controlador, então é melhor não apresentar o seu desafio para já e apresentá-lo numa altura mais propícia. O objetivo é ambos se divertirem e então, colocar o seu desafio).

Terceiro passo. Jogue o jogo por pequenos ciclos.

Não apresse ou seja insistente demasiado rápido para que o seu filho trabalhe no objetivo da linguagem que você determinou. Uma vez mais, relembre-se de priorizar a interação social em primeiro lugar e, então, trabalhe no seu objetivo. Faça com que o início da atividade seja divertido e fácil para o seu filho de modo que ele goste de ser social consigo. Uma vez que tenha completado a atividade por 3 ou 4 ciclos, (por exemplo, sopre bolhas 3 ou 4 vezes; construa a estrutura de LEGO por 2 ou 3 minutos; desfrute do tópico da conversa que o seu filho está a partilhar, etc. até que haja espaço para que possa adicionar e expandir a conversa) avance para o próximo passo.

Quarto passo. Pare e desafie.

Uma vez que você e o seu filho estejam a disfrutar do jogo interativo, pare (ou pause) a atividade e desafie-o ao usar o objetivo da linguagem. Faça que o seu desafio seja entusiasmado! Quando o seu filho começar a falar, mostre contentamento sobre ouvir a voz dele. Se acredita na capacidade dele de se desenvolver da maneira que você o desafia, a sua exuberância virá de um modo mais genuíno.

Quinto passo. Espere.  

Dê ao seu filho uma hipótese de responder. Espere um minuto, se ele não começar a falar. Não recomece a atividade interativa demasiado rápido antes de permitir que o seu filho responda. Encontre um equilíbrio entre esperar e manter o jogo, e mantenha-se positivo!

Sexto passo. Celebre e continue a atividade.

Se o seu filho responde de alguma maneira ao seu desafio, demonstre um grande ânimo e felicidade e dê-lhe rapidamente o que ele quer. Faça-o enquanto continua a fomentar um ambiente divertido e de uma interação interessante. Depois de alguns ciclos de atividade, pare e desafie-o de novo (quarto passo, acima). Repita este processo enquanto que o jogo continua. Se o seu filho não responder e parecer que perde a motivação, recomece a atividade e continue a envolvê-lo na atividade interativa. Após alguns ciclos de jogos, pare e desafie-o de novo. (Quarto passo, acima).

Sétimo passo. Seja persistente.

É importante que você seja forte, apaixonado, descontraído e confortável mesmo quando não tem, no momento, o que deseja do seu filho. A todo o custo, evite comportamentos passivos e agressivos. Você pretenderá manter-se carinhosamente persistente. Não desista!

Mesmo que o seu filho não esteja claramente a comunicar consigo, ele ou ela, regista tudo. O seu filho sente o que você sente, apercebe-se das suas expressões faciais e da sua linguagem corporal. Dê o seu melhor para comunicar e demonstrar amor, aceitação, encorajamento e, sobretudo, permita que eles sejam quem eles são no momento.

Talvez necessite de desafiá-lo muitas vezes antes de que o seu filho responda ao que lhe está a pedir. Não faz mal. Seja determinado.

Mesmo quando o seu filho não responde a um desafio, saiba que está a contribuir para a criação de uma base de futuro sucesso consigo ou com a próxima pessoa com quem ele ou ela interaja.

Para algumas crianças, o desenvolvimento da linguagem é um processo, como uma coreografia de uma dança complicada que eles aprendem. Provavelmente não a aprenderão simplesmente pelo modo que a dança lhes é apresentada ou até mesmo pela dança que eles veem. Eles precisam de a praticar e de se envolverem com o parceiro da dança.

Seja esse parceiro.

 

Bibliografia

PENA, Moira. LANGUAGE DELAY SOLUTIONS AND TIPS. 2017. Disponível em: https://blog.autismtreatmentcenter.org/2017/06/language-delay-solutions-and-tips.html Data de acesso: 18 de fevereiro de 2019.

 

Fonte: https://goo.gl/T7bojm

Traduzido por: Adriana Oliveira