Lidar com comportamentos desafiantes: agressividade & auto-agressão

Lidar com comportamentos de auto-agressão

Na maioria dos casos, quando as crianças batem em si mesmas, é demasiado energia acumulada e o entusiasmo é tanto que não encontram nenhuma maneira de se livrar dela anão ser através deste tipo de comportamento; ou, poderá igualmente ser a sua vontade de provocar uma reacção nas pessoas ao seu redor.

  • Primeira coisa a tentar: oferecer outras maneiras de libertar a sua energia, como apertar o corpo ou sugerir correr às voltas da sala com eles. Se tiver a sensação de que a criança está a chegar um desses períodos de auto-agressão, dê-lhes os apertos antes do período, se possível. Se não, pode sugeri-los assim que começarem a bater neles próprios. Além disso, aperte diretamente no lugar que a criança está a bater (se ela estiver a bater a cabeça contra o chão, tente para apertar a cabeça dela.)
  • Pergunte a si mesmo: “Como me sinto em relação a isto?” A maioria das pessoas sente-se desconfortável nestas situações, e a criança percebe esse sentimento, que é um motivador para continuar a ter o comportamento. Não se preocupe se tem se sentido mal, pode sempre dar a volta a isto. Quando sentir e agir calmamente (não reagir de forma divertida), o seu filho não vai receber a mesma reação de si, e pode diminuir o comportamento. 
  • Outros fatores a analisar:
  1. A dieta do seu filho
  2. É assim que o seu filho consegue o que quer? Muitas crianças recebem guloseimas e coisas assim que batem com a cabeça ou batem em si mesmas, então sabem que têm o que querem quando fazem isso. Se este for o caso, tem que torná-lo num método ineficaz para não dar mais o que ele quer quando o faz.

Lidar com comportamentos agressivos

Muitas crianças mordem, arranham, pontapeiam, batem e atiram coisas inesperadamente às pessoas. Há geralmente três coisas a verificar imediatamente, que são:

  • A forma como você (e as pessoas ao seu redor) reagem ao comportamento agressivo. Quando magoadas, a maioria das pessoas reagem fisicamente (a gritar, fazer expressões de dor com o rosto, afastar-se rapidamente, entre outras coisas) e mentalmente (enlouquecer, frustrado, irritado, chateado, ou outro tipo de desconforto). Muitas crianças vão fazer comportamentos especificamente por causa da reação que recebem das pessoas ao seu redor. Pode ser muito divertido e interessante para algumas crianças verem os seus pais gesticular e terem tremendas expressões faciais. Você torna-se num desenho animado, e a maioria das crianças gosta de desenhos animados, especificamente por causa da sua qualidade exagerada. Descobrimos que o que quer que reaja, tem efeito numa criança. Ou seja, se o seu filho morde, arranha, ou chuta a si e se você fizer caso disso, ele está mais propenso a continuar o comportamento, porque é divertido vê-lo a fazer caso disso. Uma vez mordido, arranhado, etc, proteja-se de forma a impedir que isso aconteça novamente, de uma forma calma e fácil. Não tente disciplinar o seu filho agora… provavelmente está apenas a encorajar o comportamento por gritar ou falar com uma voz irritada, etc. Além disso, a sua reação mental também é vital. Não é suposto fingir estar calmo, mas senti-se calmo. Isto é importante porque as crianças podem sentir emocionalmente o mesmo que as pessoas ao seu redor. Se se sentir mal (ou triste, zangado, frustrado, etc.), isto conta como uma reação também! E pode muito bem-estar a encorajar o comportamento por ter um desconforto.
  • A segunda coisa a verificar é: Estou a ceder ao que ele quer quando é agressivo comigo? A ideia é perguntar a si mesmo, o morder/arranhar/pontapear afeta-me? Dou-lhe alguma coisa porque ele me magoou que eu não teria dado de outra forma? Se sim, é importante que mude isso. Desde que uma criança acredite que magoar os outros funciona melhor para conseguir coisas, será a isso que recorrerão quando nada mais estiver a funcionar. Então, em vez disso, quando o seu filho se comunicar da maneira que você quer, terá feito um bom trabalho!
  • Outra coisa que pode tentar: se ele começa a ficar agressivo, ou vê os sinais de aviso a chegar, ofereça diferentes estímulos físicos. Por exemplo, aperte as mãos e os pés, se ele o permitir, e até massaje a mandíbula. Algumas crianças recebem rajadas de energia, que podem ser libertadas pelos seus apertos. Pode também oferecer outros tipos de atividade física, como jogar à apanhada.

Lidar com comportamentos desafiantes como de atirar objetos e gritar

Aqui estão algumas sugestões sobre como lidar com o comportamento de atirar objetos e gritar:

  • Esteja ciente de como as pessoas estão a responder a isto. Se aqueles à volta do seu filho (você, familiares, terapeutas ou ajudantes) se estão a sentir desconfortáveis, assustados ou frustrados quando o seu filho se comporta desta maneira, ele pode fazê-lo ainda mais. Veja como se sente; lembre-se que ele está a fazer o melhor que pode e respire fundo, “relaxe” assim que o seu filho começa a fazer isto. Fique até mesmo parado por um momento e observe. Além disso, procure saber se o seu filho pode ter o que quer quando atira objetos: As pessoas movem-se mais depressa quando ele atira algo? Ele de alguma forma consegue comida, atenção ou brinquedos mais rápido? É muito importante ver como você tem respondido para poder mudar isso;
  • Tente sempre mover-se ainda mais DEVAGAR quando ele atira coisas ou grita. Em vez de começar a acelerar como sempre faz quando o seu filho age desta forma, desacelere as suas respostas para que ele veja que esta não é a maneira mais útil para obter o que ele quer;
  • Ofereça ao seu filho brinquedos macios ou almofadas e diga-lhe: “Se quiseres atirar algo, tu podes atirar isto”. Então ele tem uma noção sobre onde ele pode pôr a sua energia extra;
  • Explique ao seu filho, de uma forma muito relaxada, “eu não entendo o que queres quando atiras coisas. Se usares as tuas palavras ou olhares para mim, ajudar-me-ia muito.” Então, se o seu filho falar, ou tentar falar, ou olhar para si, você PODE CORRER para a prateleira e oferecer-lhe diferentes itens. Desta forma, mostramos-lhe que atirar não o ajuda a conseguir o que quer, mas que o contacto visual e a fala são muito mais eficazes;

Pode também arranjar algo suave e atirar-los a ele para ver como ele responde a isso.

 

 

Traduzido por: André Costa

Fontes:

How to Handle Aggression from Your Child

Throwing and Screaming

Dealing with Self Abuse