Permita-se escolher Amor, Gratidão & Alegria

Hoje decidimos dedicar um tempinho para escrever umas palavras para vocês pais, familiares, cuidadores…

 

Todos nós queremos ter aquele sentimento de que tudo está bem e a correr às mil maravilhas. É o desejo de quase toda a gente, de se sentir bem sobre o que está a acontecer nas nossas vidas, com as nossas famílias, com os nossos filhos… Mas muitas vezes não é isso que vivemos e experienciamos. Mas porque será que isso acontece? Se nos queremos sentir bem por dentro, se queremos ter experiências de otimismo, alegria, amor e diversão, porque não as temos simplesmente?
A resposta é mais simples do que pensamos. E como sempre, está dentro de nós. Quando nos sentimos insatisfeitos temos tendências a olhar automaticamente para fora de nós próprios. Temos tendência a culpar ou a atribuir a responsabilidade dessa insatisfação a algo alheio a nós, alheio à nossa própria responsabilidade. Olhamos antes para o nosso trabalho, para o que fazem ou não fazem os nossos filhos, para a desarrumação da nossa casa, para o nosso peso, para aquilo que ainda não temos e queremos,… E usamos todas estas coisas para determinar como nos sentimos e determinar o grau da nossa felicidade ou infelicidade.

Se nos atrasamos para o trabalho, se o nosso filho faz uma birra logo pela manhã, se engordamos um bocadinho, criamos desilusão, frustração e por vezes até desespero. E tudo isto simplesmente acontece, porque procuramos sentirmo-nos bem com o que está fora de nós, em vez de procurar essa satisfação e bem-estar dentro de nós.

E esse sentimento que tanto procuramos, o de “está tudo às mil maravilhas”, que tanto inacessível parece estar, podemos encontra-lo onde menos procuramos a maior parte do tempo… E está mais perto do que achamos – dentro de nós. O precisamos fazer é direcionar o nosso foco para lá.

Mas como? Partilhamos convosco três ideias para tornar isso possível! Simples e fáceis de aplicar:

  1. Foque a sua atenção em algo que está atualmente a funcionar para si. Temos tendência a focar-nos no que não resulta, o que corre mal e a ignorar o que resulta ou corre bem. Comece a focar-se no que funciona na sua vida ou em coisas boas que aconteçam ao longo do seu dia. Podem ser coisas simples como abraçar os seus filhos, comer um bom pequeno almoço, dar uma boa gargalhada com uma colega de trabalho, comer um gelado (algo que já não fazia há bastante tempo!), o cheiro do café pela manhã, a leitura de um novo livro… Absorva o que de bom está a acontecer e saborei cada instante.
  2. Agradeça. Observe o que está acontecer à sua volta. Acontece tanta coisa no nosso dia-a-dia e temos tanta coisa boa à nossa volta que muitas vezes nem reparamos. Olhe para o seu filho, para o sol, para a chuva, para o ramo de flores que tem na sua mesa da sala de jantar, para o pão fresquinho e agradeça. Agradeça. Agradeça.
  3. Relaxe. Sempre que as coisas sairem fora do planeado veja a situação com humor. Ria de si própria, ria da situação, rie, permita-se descontrair. Relativize as coisas e pense “qual o pior que pode acontecer com esta situação?”.

Comece com estas três dicas. Faça da sua vida a viagem que decidir que seja. Antes do seu dia começar, pare por um segundo, reflita sobre algo que lhe tenha acontecido que lhe tenha trazido amor, carinho, tranquilidade, felicidade…

Pode começar a pensar “sim mas e tudo o que tenho ainda para fazer, lidar, resolver…”. Quando esses pensamentos surgirem, permita-se a si mesmo de ser preenchido por bons pensamentos e sentimentos e a partir deste lugar onde se encontra agora (um lugar mais tranquilo, mais aconchegador) dê o próximo passo do seu dia (lavar a loiça, ir buscar as crianças, tratar das contas, ir para o trabalho,…).

Aproveite o seu dia de hoje um pouco mais do que aproveitou do dia de ontem! 🙂