19 results for tag: interacção


Sabia que…

SABIA QUE... a sua atitude e o seu estado emocional têm um grande efeito na recetividade das suas crianças? Quando estamos chateados, desconfortáveis, preocupados, cansados ou zangados, a nossa criança vai perceber isso e, em vez de se aproximar de nós, afasta-se.Por isso, quando estamos recetivos, amáveis, acessíveis e relaxados as nossas crianças também o vão perceber e aproximam-se em vez de se afastarem. Tal como nós fazemos com as pessoas que nos rodeiam.Raun K. Kaufman, autor de "Autism Breakthrough"

Sabia que…

SABIA QUE... quando está a ser divertido, amável e a aceitar a sua criança, torna-se num embaixador convidativo ao mundo da socialização? É provável que a sua criança tenha mais vontade de se relacionar socialmente quando você faz isso.Raun K. Kaufman, autor de "Autism Breakthrough"

Vamos estar mais presentes

Olhe hoje com novos olhos para a sua criança com Autismo. Em vez de a ajudar a mudar, pare um pouco para ver quem ela é.- O que a faz rir?- O que lhe agrada?- Se entregue a si própria o que gostaria ela de fazer?Quer a sua criança tenha 5, 15 ou 25 anos, é aqui que residem as verdadeiras raízes das relações e do crescimento social, no que a criança gosta mais de fazer. Junte-se a ela nisso e a relação irá surgir. Kate Wilde, Autism Treatment Center of America

Quando a sua criança com autismo olha para si, quer ela tenha 3 ou 30 anos, deixe o seu amor transparecer nos seus olhos. Deixe os seus lábios cantarem uma doce melodia de celebração. Mostre-lhe que o contacto visual é a porta de acesso para o afável mundo da interação social. Kate Wilde, Autism Treatment Center of America

Vamos focar-nos no que mais importante: na construção de relações sociais!

A sua criança com Autismo não consegue fazer amigos dizendo as cores. Vamos concentrar-nos no que é mais importante para as nossas crianças...Vamos inspirá-las a criar relações sociais fortes e importantes. Autism Treatment Center of America, http://www.autismtreatmentcenter.org/

Porque é que os maneirismos sociais forçados criam crianças menos sociais

Costuma obrigar a sua criança no espectro do ‪#‎autismo a dizer “olá”, apertar a mão a alguém, fazer pose para a fotografia ou a obedecer a outras ‪#‎ConvençõesSociais semelhantes?Percebo perfeitamente de onde vem esta vontade. E, por isso, sei que pode ser difícil perceber como pode ser contraproducente.Obrigar as nossas crianças a obedecer a estes maneirismos sociais é o oposto a ter uma criança sociável. Porquê? Eis três razões:1) Quebra a confiança e a ligação ao obrigar a criança a fazer algo contra a sua vontade. 2) Dá origem a uma luta pelo controlo, o que faz com que as suas crianças se fechem e resistam mais.3) ...

PONTO-CHAVE DO SON-RISE PROGRAM®: interação social iniciada pela criança.

Queremos entrar no mundo da criança e esperar que ela, de livre vontade, inicie a interação antes de a convidar a comunicar. - Retirado do livro “Autism breakthrough”, de Raun K. Kaufman

Como podemos ajudar as nossas crianças com autismo a partilhar mais delas próprias connosco?

- Ouvi-las com entusiasmo! - Encantar-se com o que elas lhe dizem.- Partilhar mais de si.- Divertir-se e ser brincalhão.Autism Treatment Center of America, http://www.autismtreatmentcenter.org/

Tem dificuldade em conseguir que a sua criança participe?

Eis uma solução em 6 passos: 1) Primeiro, analise a sua atitude. Se se sentir desmotivado quando a sua criança com ‪#‎autismo‬‬ não está interessada no seu jogo ou na sua atividade, pode sentir necessidade do interesse ou participação da sua criança. As crianças no espectro vão entender desta carência como uma pressão. Isto vai fazer com que façam tudo o que puderem para evitar serem pressionados ou controlados, o que irá aumentar as hipóteses de se DESobrigarem da atividade, ou mesmo de a descartarem. 2) Depois de analisar a sua atitude, analise-a novamente. :) Por vezes as pessoas dizem-me coisas como “Eu sei, sem ...

Como é que você inspira uma criança com autismo a querer brincar com outras crianças?

Sendo criança novamente você mesmo. Brinque com eles como se não houvesse amanhã. Não há agenda nem pressão, apenas desfrutar do mundo e sendo a versão mais parecida com a criança que era em tempos. Autism Treatment Center of America, http://www.autismtreatmentcenter.org/