30 results for month: 03/2019


Pica

Pica refere-se a comer ou colocar na boca itens não comestíveis, como pedras, terra, metal e fezes. A razão pela qual uma pessoa no espectro do autismo pode experienciar pica pode ser médica, dietética, sensorial ou comportamental, e inclui: não entender que itens são comestíveis e que itens não o são procurar estímulos sensoriais - a textura ou o sabor do item aliviar a ansiedade ou o stress aliviar a dor ou desconforto exibir um sintoma de deficiência de ferro continuação do comportamento bocal dos bebés procurar receber atenção evitar uma exigência Pode tentar: preparar uma ...

Sintomas do autismo que não encontramos na literatura de diagnóstico

Os sintomas oficiais do autismo incluem falta de contacto visual, problemas de fala e comunicação, bem como estereotipias. Então, por que é que os pais continuam a procurar tratamentos para ajudar os seus filhos a dormir, a lidar com a ansiedade, a digerir os alimentos ou até mesmo ajudá-los nos distúrbios convulsivos? Muitos, aliás, a maioria dos indivíduos com autismo têm sintomas que não estão ligados diretamente com a interação social. Até à data, não sabemos até que ponto o autismo provoca estes sintomas ou está apenas associado a eles. Sabemos, porém, que são muito reais. 1. Autismo e Desregulação Sensorial A ...

Quem deveria diagnosticar pessoas com autismo?

Parece que toda a gente, incluindo a senhora no supermercado, consegue identificar uma pessoa com autismo quando a vê. Mas, obviamente, não é assim tão simples. Autismo não é apenas uma questão de personalidade e interesses pessoais, para além de que nem toda a gente que prefere a solidão e bandas desenhadas tem autismo. Na verdade, autismo é uma perturbação do desenvolvimento complexa e o seu diagnóstico requere testes, avaliação e compreensão profunda da perturbação. Porque é que o seu pediatra pode não ser capaz de ajudar no diagnóstico de autismo Em teoria, o seu pediatra devia conseguir identificar certos comportamentos ...

Quando procurar um diagnóstico de Autismo?

O seu bebé ou a sua criança que está no infantário está a desenvolver-se de forma diferente. O seu discurso está atrasado, ela tem alguns comportamentos peculiares e ela adora fazer as mesmas coisas repetidamente. Ela não gosta de barulhos altos e tem dificuldade em interagir com crianças da mesma idade. Terá autismo? A resposta é, talvez. Será agora a melhor altura para pedir uma avaliação de um pediatra ou uma equipa multidisciplinar que pode, potencialmente, levar à imposição da palavra autismo no seu filho para o resto da sua vida? A resposta para essa questão depende de um grande número de fatores. Quantos anos tem o ...

O Porquê do Autismo de Alto Funcionamento ser tão desafiador

“Alto Funcionamento” não é sinónimo de “leve” Até este ponto na história há discordância sobre quantas pessoas no espectro do autismo estão na extremidade alta ou baixa do espectro (ou se a maioria das pessoas com autismo estão “algures no meio”). É claro, no entanto, que a maior parte da atenção da comunicação social vai para as pessoas na extremidade alta e baixa do espectro – isto é, o desafio profundo e o de alta funcionalidade. O facto é que a vida com autismo severo é extraordinariamente difícil. A lógica sugere que as pessoas na extremidade alta do espectro têm facilidades – assim como a sua família e ...

Qual é a sua estereotipia?

Uma das estratégias para o autismo que o The Son-Rise Program utiliza é juntar-se às atividades exclusivas e repetitivas da criança (“ismos”). Algumas crianças abana as mãos, outras rodopiam, e outras recitam frases de filmes. Existem muitos “ismos” diferentes e todos nós os temos. Por exemplo, eu gosto de ouvir as mesmas músicas repetidamente no meu iPod – o som e o ritmo acalmam-me e deixo-me absorver pela música. Acho que se fosse uma criança com autismo, ficaria deitado confortavelmente debaixo de um cobertor macio, tal qual um casulo. Qual é o seu “ismo”? Fonte: https://goo.gl/xrTuQc Traduzido por: André Gomes

Desafios na alimentação

Comer uma dieta variada é bom para a saúde, mas muitas pessoas não conseguem fazê-lo. Algumas pessoas com autismo têm uma dieta restrita, comendo apenas uma gama limitada de alimentos. Outros comem demasiado. Descubra que problemas procurar, como descobrir a causa, indicadores gerais, maneiras de ajudar, profissionais que podem ajudar e como encontrar mais informações.   Problemas a procurar Em crianças, a rigidez com os alimentos é muito comum, e não só para aqueles que estão no espetro do autismo. Não há necessidade de se preocupar demasiado se a criança ingerir alimentos de cada um dos principais grupos de alimentos e ...

Comportamento físico desafiador como morder, beliscar, esbofetear, cuspir e puxar cabelo.

Podem existir razões médicas, sensoriais, comportamentais ou relacionadas com a comunicação que provoquem estas reações a uma pessoa no espectro do autismo. Dor física, desconforto ou problema médico A pessoa pode sentir-se mal, cansada, com fome, com sede ou desconfortável. Morder pode ser devido à dor na boca, dentes ou maxilar. Cuspir pode estar relacionado com dificuldade em engolir ou produzir demasiada saliva. Agressão pode ser devido a alterações hormonais adolescentes. Procura de entrada sensorial Mastigar e morder fornecem informações sensoriais para o sistema propriocetivo, que regula as diferentes partes do ...

COMPORTAMENTO AGRESSIVO: CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM AUTISMO

Crianças com perturbação do espetro do autismo podem se comportar de maneira agressiva consigo mesmas ou com outras pessoas. Existem muitas estratégias que pode usar para prevenir e lidar com o comportamento agressivo ou auto agressivo do seu filho.   Comportamento agressivo, autoagressão e perturbação do espetro do autismo Crianças com autismo não necessariamente expressam raiva, medo, ansiedade ou frustração da mesma maneira que outras crianças. Elas podem, algumas vezes, expressar estes sentimentos por meio de um comportamento agressivo com outras crianças. De vez em quando elas são agressivas consigo mesmas, o que é ...

Comportamentos Desafiantes – o que fazer?

Passo nº 1: Não se ilumine como uma árvore de Natal! Acabei de falar com uma mãe ao telefone, que partilhou comigo um dos problemas relativos ao seu filho com o qual ela quis ajuda. O  facto de este ser agressivo com ela, batendo-lhe, dando-lhe murros e mordendo-a. Isto é parte daquilo que partilhei com ela, o qual achei que seria um bom lembrete para todos. Aproveitem: Mantenha a calma: Ficar chateado ou frustrado e furiosamente dizer ao seu filho “`Pára de fazer isso”, “Isso não se faz”, ect., na maior parte das situações, irá incentivá-los ainda mais a comportar-se da mesma forma. Dê o seu melhor para ser o menos ...