Controlo & Previsibilidade

Antes de continuar a ler este artigo, pedimos-lhe um tempo de reflexão… Não existem respostas certas ou erradas, apenas oportunidades de análise, introspecção, crescimento e aprendizagem com mais significado.

Com que frequência, durante o dia-a-dia, pára para dar explicações à sua criança com autismo?

Esta pergunta aplica-se se a sua criança é totalmente verbal, apenas diz algumas palavras ou sons, se é interativa ou mais exclusiva, se tem 3 anos ou 25 anos. Isto porque acreditamos que qualquer pessoa, entende o que estamos a dizer, apesar de por vezes parecer que nem nos está a ouvir. O facto de não falarem connosco ou não interagirem connosco não significa que não estejam atentos ao que se passa á sua volta. Acreditamos fortemente, que no espetro do autismo, apesar de estarem no “seu mundo” estão igualmente a absorver tudo o que se passa à sua volta e a ouvir sempre. Por isso, também acreditamos, que a forma de comunicação, deve ser igual para todas as nossas crianças, sejam elas verbais/não verbais ou interativas/exclusivas.

Muitas vezes, como achamos que as nossas crianças não estão “on”, damos explicações rápidas ou não damos explicações nenhumas, pois achamos que é indiferente/que a criança não está a ouvir ou porque inconscientemente nem pensamos na importância e na diferença que poderá fazer.

As explicações são a chave para abrir inúmeras portas de sucesso para a sua criança.

Sabemos que quando passamos a explicar às nossas criança mais sobre o que vai acontecer ou o que está acontecer, elas ficam mais tranquilas e flexíveis. As nossas crianças vivem num mundo no qual não tem qualquer controlo e dar-lhes esta previsibilidade do que vai acontecer e este controlo antecipado, pode facilitar em muitos casos e ajudá-las a permanecerem tranquilas por terem tipo tempo de assimilar e se preparar para a situação. As explicações criam um ambiente previsível para os nossos filhos no espectro do autismo.

Apresentamos alguns cenários, onde as explicações podem ser úteis para a sua criança. São apenas alguns exemplos, sendo que as explicações à sua criança não estão limitadas apenas a estas situações. Com certeza que depois de ler este artigo se sentirá inspirado a pensar nas áreas da vossas vida, onde as explicações podem trazem grandes benefícios à sua criança.

Exemplo 1.

O que acha que poderia fazer para trazer mais segurança e previsibilidade à sua criança antes de ela por exemplo sair de casa?

As crianças no espetro do autismo precisam por vezes de mais tempo para assimilar e digerir a informação que lhes é fornecida do exterior. Muitas vezes na correria do nosso dia-a-dia estamos tão preocupados com o que temos de fazer e com os horários que temos de cumprir, que a própria saída de casa de manhã pode ser uma correria. Avisamos a nossa criança 10 minutos (ou menos) antes de sair de casa que temos de ir e isto para eles por vezes pode ser uma grande confusão. Quando a informação lhes chega até ao ponto de terem de realizar o que é pedido, não é tempo suficiente de assimilarem e estarem prontos para essa transição tão brusca.

Algo que pode fazer uma diferença enorme é ANTECIPAR. Antecipar e explicar o que vai acontecer. Pode recorrer a recursos visuais para facilitar a explicação. Pode por exemplo criar um esquema com horas e imagens que ajudam a criança a entender o que vai acontecer e ir reforçando verbalmente o que vai acontecer. Um exemplo seria: “Bom dia Matilde, hoje está um belo dia! Daqui a 1hora vais para a escolinha e eu e o papá vamos trabalhar. Que bom! Antes disso, vamos levantar-nos, tomar um bom pequeno-almoço, vestir, lavar bem os nossos dentes e preparar-nos para sairmos juntos de casa. Saímos as 8h30, para conseguires estar na escola as 8h45 como os teus coleguinhas.”

E ao longo da manhã vá reforçando o tempo que falta para sair de casa e volte a reforçar de forma tranquila que têm de sair as 8h30 para ninguém se atrasar e poder começar o seu dia de forma calma e tranquila, para o poder também desfrutar melhor. 5 minutos antes da hora de saída chegar pode voltar anunciar: “Matilde, está na hora! Pronta para sairmos de casa? Estou muito entusiasmada por termos as duas conseguido estar prontas a horas. Vamos a isso.”

Exemplo 2.

Segue agora outro exemplo. Que tipo de explicação acredita que traria mais controlo e previsibilidade à sua criança se ela estivesse pela primeira vez num lugar novo?

Aqui está uma possível explicação: “Olá, o meu nome é Maria. Estou tão feliz que estejas aqui. A tua mãe estará de volta às 17h30 e tu vais brincar comigo até ela chegar. Temos tudo o que precisas e vou estar aqui para te ajudar.”

Apresentar-se, mostrar o nosso apreço e deixar a criança saber o que está a acontecer. Mas a explicação em si não fornece à criança uma compreensão do que realmente está a acontecer, não criámos ainda um ambiente previsível.

Aqui está uma segunda explicação possível: “Estou muito feliz por finalmente conhecer-te! O meu nome é Maria e eu estarei aqui na sala de brincar contigo durante as próximas 2 horas. Eu sei que este é um lugar novo, e que podes querer saber o que está acontecer, então eu vou-te contar tudo o que sei. Antes de tudo, estou aqui para ajudar-te com qualquer coisa que precises, então, se tiveres sede, nós temos água na mesa, se estiveres com fome, nós temos um lanche na prateleira e, se precisares de ajuda na casa de banho eu também posso ajudar-te. Nós até temos brinquedos divertidos que se quiseres posso ir buscar para ti! Tenho também este horário para ti. Tem todos os nomes das atividades que temos para ti, e vou deixá-lo aqui na parede para que saibas sempre o que está acontecer. No horário, até diz que tua mãe regressa às 17h30.”

Nesta segunda explicação, é mais provável que a criança se sinta em maior controlo e segurança pois os detalhes dados do que iria acontecer foram bem maiores. Sabem o que está acontecer, sabem que a mãe irá voltar, sabem que tudo o que precisam está naquela sala, e até têm uma agenda visual para se lembrarem de como será o dia deles e acima de tudo, têm com eles uma nova amiga que lhes explica carinhosamente tudo o que vai acontecer.

As explicações ajudam a motivar a criança a usar formas de comunicação mais clara vs chorar, lamentar ou ter outro comportamento mais desafiador – estamos nós próprios a ser um exemplo claro de comunicação e queremos inspirar as nossas crianças a fazer igual.

Desde pequenas que as crianças percebem que as pessoas à sua volta se movem mais rapidamente quando elas choram e de que o mundo é mais responsivo e lhes fornece o que eles precisam mais rápido, quando “atacam”.

Não importa a idade da sua criança –  explique os benefícios de usar formas mais claras de comunicação ao interagir com o mundo ao seu redor.

Exemplo 3.

Aqui está uma possível explicação que pode querer dar à sua criança se ela estiver a chorar ou fazer birra:

“Não tem problema nenhum chorar, mas muitas pessoas no mundo ficam confusas e não conseguem entender quando alguém chora. Quero muito ajudar-te e tenho algumas maneiras de te ajudar a conseguires melhor o que queres. Podes pegar na minha mãe, mover-me para o que precisas. Podes fazer um som, usar as tuas palavras. Podes até vir e sentar no meu colo se apenas quiseres um abraço. Quero realmente muito ajudar-te.”

Explicações ajudam as crianças com as mudanças e transições e no caso do espetro do autismo, é um desafio muito grande para eles permitir essas mudanças nas rotinas diárias.

Talvez a sua criança queira usar sempre a mesma roupa todos os dias ou levar com ela sempre o mesmo brinquedo para todo o lado. A sua criança pode querer usar sempre o mesmo copo para beber ou sentar sempre no mesmo sítio da mesa. Isto acontece, porque as nossas crianças precisam de criar estas rotinas previsíveis para se sentirem mais seguras num mundo que lhes está sempre a fugir ao controlo.

Explicar o que está acontecer, o que acontecerá ou o que acabou de acontecer é uma ótima maneira de apoiar a necessidade de previsibilidade da sua criança.  E dar uma explicação detalhada antes da transição realmente acontecer, ajuda muitos as nossas crianças!

Dar tempo para explicar quando uma transição está prestes a acontecer, e dar tempo à sua criança para processar essa mudança terá maior probabilidade de a criança receber a mudança de braços abertos. As explicações ajudam as crianças a aceitar com mais calma e facilidade limites. Sabemos que existem limites que devem ser colocados, mas também é importante delineá-los e deixá-los bem claros à criança, acompanhados de uma explicação detalhada e justificada da imposição do limite. Sabemos que as nossas crianças são muito mais receptivas e aceitam os limites quando explicamos por que está a ser pedido em primeiro lugar.

Exemplo 4.

Imaginem o exemplo de uma criança a arrancar a página de um livro. Aqui está uma possível explicação que podemos dar:

“Quero cuidar dos nossos livros para que possas continuar a lê-los ou para que te possa continuar a ler histórias. Temos também outros amigos que poderão querer lê-los mais tarde, então aqui está um pedaço de papel que podes rasgar em vez das páginas do livro. Eu acredito em ti e sei que me vais ajudar a cuidar dos nossos livros. Então toma, pega neste pedaço de papel e rasga-o à vontade e se for preciso dou-te mais papel que não precisamos, para rasgares mais.”

Todos nós queremos saber porque as pessoas nos pedem certas coisas. E o mesmo se passa para as nossas crianças no espetro do autismo. Então se quer ajudar a sua criança a escrever no papel em vez de escrever na parede, explique calmamente e claramente o porquê e ofereça a alternativa do papel. Pode ficar muito surpreendido como a sua explicação pode ajudar imenso a resolver a situação.

Se a sua resposta à pergunta inicial deste artigo, ou depois de uma reflexão posterior, é agora: “Não, eu na verdade não explico muita coisa para a minha criança”, então desafie-se a fazer exatamente isso hoje. Respire, diminua a velocidade e dê prioridade a falar claramente com a sua criança, porque ela o está a ouvir e isso ajudará bastante.