A minha criança procura estimulação genital: o que fazer?  

Cada vez mais pais e cuidadores se deparam com esta questão. Não sabem o que fazer, como reagir e não entendem se é certo ou errado.

Antes de tudo, gostaríamos de lhe explicar que é normal. Sim, é normal e natural, mesmo em crianças com idades menores, essa procura em explorar a sua sexualidade, tanto em meninas como em meninos. Antes de entrarmos em mais detalhes, queremos também reforçar que há casos e casos e que devem sempre ser questionados, de forma mais específica, a um pediatra ou especialista na área.

Encare com tranquilidade

Seja a sua criança uma menina ou um menino, tenha três, oito ou doze anos… Encare a situação que está a presenciar sem pânico ou espanto e não impeça a sua criança de o fazer. Não existe qualquer problema em existir essa procura porque é apenas a sua criança a conhecer o seu próprio corpo. E lembre-se da expressão “o fruto proibido é sempre o mais apetecido” e quanto mais impedimos que as nossas crianças façam algo, mais elas vão querer fazer mais vezes.

Explique e encaminhe para um lugar privado

Quando se aperceber que a sua criança está nesta procura, explique-lhe que está tudo bem em ela querer fazer aquilo, que é normal e que não tem nenhum problema mas que deve fazê-lo num lugar privado. Pode encaminhar a criança para o seu quarto ou para a  casa-de-banho.

Se a sua criança for não-verbal, explique da mesma forma. Mesmo que não fale, ela irá compreender e deverá encaminhá-la, da mesma maneira, para um lugar onde ela possa estar sozinha.

Adapte consoante a idade 

É importante ressaltar que certas respostas variam de criança para criança, dependendo, principalmente, da sua idade.

Se a criança tiver uma idade por volta dos 3 anos, é muito comum a exploração dos órgãos genitais após o desfralde. Não proíba, seguindo os conselhos já indicados. A sua criança apenas está a conhecer o seu órgão genital. Se ela fizer perguntas, responda simples e adaptada à sua idade, não alongue o discurso e evite explicar detalhes que a criança não compreenderá.

Se tiver por volta dos 8 anos, deixe que a sua criança explore da forma que ela quiser e siga os mesmos conselhos. Pesquise e pode explicar, através de imagens dos livros escolares, o que é o órgão genital e entrando em mais algum detalhe sobre o corpo humano. Nestas idades é normal passarem de uma estimulação não pensada para a masturbação.

Já com 12 anos, siga os mesmos conselhos e pode explicar mais detalhadamente outros temas da educação sexual que ache relevantes para a sua pré-adolescência, como a puberdade, por exemplo. A informação é sempre importante e significante.

Se existirem perguntas, também é importante responder de forma tranquila e sem tabus. Mas lembre-se de adaptar a sua linguagem e forma de explicar à sua criança conforme a idade.

Em demasia, procure um especialista

Reforçamos sempre a procura de um pediatra, ou um psicólogo, ou um especialista na área, como um séxologo em caso de mais dúvidas. Mas, em casos frequentes, como a procura da estimulação genital todos os dias ou mais do que uma vez por dia ou em diversos locais, deve contactar algum destes especialistas para perceber se existem outras razões pelo qual a sua criança o faz, para além da descoberta do seu órgão e/ou da sua sexualidade.