O Natal das crianças com autismo

As férias de Natal estão a chegar e a maior parte das pessoas aguarda ansiosamente por esta época natalícia pois a ela associam o divertimento, o convívio, troca de prendas, os habituais jogos em família, a comida saborosa da mãe/avó/tia. Mas para quem tem um filho com autismo, esta época pode vir com stress e carga emocional adicional. Podemos antever as desilusões, o desapontamento que a nossa família possa sentir, pela falta de participação por parte das nossas crianças: uma noite passada a seguir os nossos filhos por todo o lado, não vão eles partir as decorações que a família tanto aprecia, ou comer o que não devem. Chegam as mudanças na rotina, a correria às compras para escolher os presentes e saber o que comprar para agradar a nossa criança, o bombardeamento de estímulos com todas as luzes/músicas/cheiros que esta época implica, entre outros… E sabemos como estes momentos podem ser bastante desafiantes para as nossas crianças com autismo e para nós enquanto cuidadores. 

Chegou o Natal e queremos, como todos, que esta época seja especial, inclusive para as nossas crianças com autismo por isso dedicamos este artigo para partilhar algumas dicas que te poderão ajudar a ti, à tua criança e à tua família a passarem um Natal para um dia recordar!

 

Permite à tua criança de se auto-regular

Havendo uma mudança na rotina é normal que as nossas crianças nesta época de férias, aumente os seus comportamentos repetitivos. Como sabemos, os mesmo são uma forma de as nossas criança se auto-regular e tomar conta de si. Nesse sentido a nossa primeira dica é… Permite que a tua criança faça os seus comportamentos repetitivos. Ela está a tomar conta de si e é uma forma de a ajudar a equilibrar o seu sistema nervoso. Se tiveres oportunidade e disponibilidade, para além de deixares a tua criança ter o comportamento repetitivo, tenta juntar-te ao mesmo. É uma excelente oportunidade para criares uma relação com a tua criança e saberes mais sobre ela. Quando nos juntamos muitas vezes conseguimos perceber porque a nossa criança tem o seu comportamento estereotipado e é a melhor forma de lhe mostraremos que a aceitamos a mil por cento e que estamos lá para ela. Para saber mais sobre estereotipias e como lidar com elas lê este artigo

 

Tem em atenção a alimentação da tua criança

Sabemos que é época de férias e que com isso, muitas vezes vêm os doces em exagero e alimentos em abundância. Existe uma ligação muito forte entre alimentação e o comportamento das nossas crianças e apesar de ser uma época especial, cairmos no erro de ceder a algumas tentações poderá interferir no comportamento e tranquilidade da nossa criança. Há uma série de alimentos que sabemos que não vão ser devidamente processados pelas nossas crianças. Nos primeiros minutos podemos não perceber o problema de os permitir comerem de tudo, mas passado algum tempo, podemos ver as cries a chegar, diarreias ou obstipações, comportamentos mais desafiantes, etc. Especialmente se a tua criança segue uma dieta sem glúten e sem caseína é fundamental que não existam essa exceções. Mais vale não ter esses alimentos disponíveis e termos uma criança bem, saudável e tranquila.

 

Dá previsibilidade e controlo à tua criança

Às vezes estamos tão ocupados a preparar e planear as coisas que nos esquecemos de avisar as nossas crianças do que vai acontecer ou do que temos planeado. Ainda para mais nestas alturas, acontecem atividades ou passeios que não é costume acontecer – sendo uma novidade para a criança. Sabemos que as nossas crianças não adoram surpresas e que para elas o controlo e previsibilidade é fundamental. Quando estiveres a planear as vossas férias, inclui a criança no que está / irá acontecer. Até para as nossas criança não verbais este passo é fundamental. Explica com antecedência o que vai acontecer, quando e onde vai acontecer e que irá ser divertidos para ela. Esta previsibilidade e controlo irá minimizar crises, comportamentos desafiantes ou resistência a participar / fazer certas coisas. 

 

Prepara um cantinho calmo para a tua criança

É muito frequente passarmos o Natal em casa de familiares, num ambiente e contexto diferente ao qual a nossa criança está habituada a estar e nesse sentido é importante também nos preparamos de antemão. Pergunta à tua família se pode disponibilizar um quarto sossegado e separado, para a tua criança poder estar quando precisar. A época festiva pode ser um bombardeamento sensorial para a nossa criança e ter esse espaço disponível ao qual poderá ir volta e meia, poderá ajudá-la a não ficar tão sobrecarregada. Podemos designar, com antecedência, uma sala calma ou espaço onde a nossa criança possa ir descomprimir e acalmar. De vez em quando, pode realmente ajudar levarmos a nossa criança para esta sala e passar algum tempo com ela lá.

Informa e forma a tua família sobre autismo

Muitos dos nossos familiares não entendem as nossas crianças, não porque não querem, mas porque efetivamente não entendem autismo. Quando a nossa criança tem comportamento repetitivos, entra em crise ou tem algum comportamento diferente da norma, este pode ser mal interpretado pelos membros da nossa família – o que acaba por nos deixar ainda mais estressados e sobrecarregados a nível emocional. 

Muitas vezes sentimo-nos frustrados porque não entendem ou porque são pouco compreensíveis e gostam de dar palpites sobre a educação das nossas crianças. Quando isto acontecer lembra-te que eles ainda não entendem.. E esta é a tua oportunidade para os ajudar! 

Antes da época festiva acontecer, informa os membros da tua família sobre o que é autismo, quais os desafios da tua criança, o que ela gosta / não gosta, se é ou não sensível a determinados estímulos, o que pode ajudar em momentos mais desafiantes, etc. Muitos até podem querer ajudar mas não sabem como fazer. Perde um bocado de tempo a conversar com eles, a tirar as suas dúvidas caso as tenham, a partilhar dicas e soluções de coisas que funcionam no teu dia-a-dia.

 

Celebra a tua criança

Muitas vezes estamos mais focados no que a criança ainda não faz ou faz de mal e esquecemo-nos de celebrar a nossa criança pelo aquilo que ela já faz. Aproveita esta época para observares e estares presente à tua criança. Celebra as pequenas coisas que já faz e partilha com ela como te sentes feliz e agradecida/o por tudo o que já consegue fazer. Todos nós gostamos do elogio e celebrar os comportamentos que queremos promover vs dar ênfase aos que não queremos, dá pistas às nossas crianças do que fazer e motiva-a a repetir.

 

Evita multidões

Neste caso: menos é mais. As compras de Natal podem ser um período aterrador até para nós. Nestes momentos evita levar a tua criança contigo pois a sobrecarga sensorial pode ser demasiada. Normalmente nesses ambientes temos as filas de espera, a agitação, os perfumes de várias pessoas que passam por nós, outros cheiros avassaladores, a luzes, músicas, etc. Evita ao máximo levar a tua criança para esses ambientes.

 

Evita equipamentos eletrónicos ou prendas demasiado estimulantes

Devemos perder algum tempo e avaliar se o presente que estamos a pensar dar não terá estímulos a mais que contribuirão para um excesso de estimulação das nossas criança que são já tão sensíveis a nível sensorial. As nossas crianças já têm alguns aspetos hipnóticos e autoestimulastes sem a ajuda de equipamentos eletrónicos. Com brinquedos mais tradicionais, como livros, comboios, bonecas ou trabalhos manuais, as nossas crianças podem usar a sua capacidade para estimular o seu próprio cérebro ao invés de usarem a máquina para fazer o trabalho por elas. 

Não tenhas receio de ser sincero/a com os teus familiares e ajuda-os na escolha de uma boa prenda (de preferência que não pisque nem apite). Podes sugerir presentes que a ajudem como almofadas sensoriais, areia seca, trampolim ou bolas de pilates, bolas de água, etc. Às vezes as crianças podem ficar satisfeitas com coisas bem mais simples e que ao mesmo tempo potenciem a interação social. 

 

Inclui a tua criança no processo de oferecer presentes

O desafio do autismo é o da interação social e esta época pode ajudar a trabalhar esse desafio. É o momento perfeito para sugerimos à nossa criança fazer um desenho ou algo em plasticina para oferecer a avó/tio/prima, etc. Podemos, com antecedência, ajudar a nossa criança a preparar algo para no dia oferecer aos seus familiares, incluindo-a neste processo de troca de prendas.

 

Alternativas às experiências natalícias no exterior

Sabemos que para as nossas crianças ambientes sobre estimulados podem ser muito difíceis de lidar e nesse sentido, por vezes há coisas que gostaríamos de fazer com elas mas não conseguimos, como ir ver a iluminação da árvore de natal ou assistir ao concerto de natal na praça, etc. Queremos que as nossas criança também passem por essas experiências mas queremos que também aproveitem e a verdade é que ao estarem sobre estimuladas, não irão retirar nenhum benefício dessa situação. Mas.. Podemos tentar reproduzir algumas experiências natalícias em casa – num espaço seguro e controlado!

Podemos fazer com ela a árvore de natal, reduzindo o uso de luzes demasiado cintilantes ou que piscam a toda a hora. Podemos colocar músicas de Natal a um volume que elas possam suportar e fazermos a nossa dança natalícia. Podemos convidá-las a fazer um desfile de Natal e vestirem-se a rigor para isso com o boné e bigode do pai natal, não esquecendo a sua barriga rechonchuda. 

Se nós podermos criar uma versão de fácil digestão da atividade dentro de casa, as nossas crianças podem realmente desfrutar da experiência. Assim, na verdade estamos a dar às nossas crianças mais e não menos.

 

Valorizar o que importa

Muitas vezes queremos que tudo corra às mil maravilhas. Queremos ter os embrulhos prefeitos, a decoração perfeita e que tudo corra super bem. Mas a verdade é que estes momentos são uma boa oportunidade para olhar para a tua criança e fazer o que faz sentido para ela e para vocês e não sentir esta pressão de ter de fazer como toda a gente. É uma excelente oportunidade para celebrar a singularidade e unicidade da tua criança e fazerem um Natal único à vossa maneira! 🙂