Como responder aos sons da minha criança com o intuito de desenvolver a comunicação verbal?

Quando a nossa criança está na primeira fase da comunicação verbal – neste caso começa a verbalizar alguns sons – é fundamental dar uma função à mesma. 

Muitas crianças numa fase inicial da comunicação verbal começam a verbalizar alguns sons aleatórios, alguns sem intenção comunicativa. Uma forma de desenvolver esta área e ajudar a criança a perceber a função e utilidade da comunicação verbal é começar a responder a esses mesmos sons, mesmo que nessa fase ainda não saibamos concretamente o que a criança quer comunicar. A nossa criança até pode estar a fazer o som sem intenção de comunicar, mas nós podemos dar-lhe essa intenção para a motivar a desenvolver mais esta área. 

Desta forma, é importante que a criança comece a perceber que os sons que verbaliza podem levar a ações. Queremos que perceba que comunicar verbalmente pode ser muito poderoso e ajudá-la no seu dia-a-dia. Nesta fase, é fundamental começar a dar significado e sentido aos sons que a criança vai verbalizando aleatoriamente e dar-lhes uma intenção comunicativa. 

A melhor forma de o fazer é começar a responder rapidamente aos sons que a criança já emite. Queremos que ela comece a associar que ao verbalizar acontece algo. Mesmo que no início não o faça com intenção de comunicar, nós podemos dar-lhe essa intenção e ajudá-lo a ver esta ligação clara. É muito importante que comecem a associar sons a coisas. 

Por exemplo, imaginem que a vossa criança verbaliza “a”. Nesse momento podemos entrar em ação e podemos questionar se quer água, um abraço, etc. Ao termos reações rápidas e ao sermos responsivos aos sons que emite, irá ajudar a criança a perceber esta ligação e que efetivamente as pessoas se movem mais rápido quando ela fala e que por conseguinte consegue mais rapidamente o que quer/precisa. 

Desta forma, quando a vossa criança verbalizar algo, movam-se rápido! Tentem dar-lhe algo que seja motivador para ela. Por exemplo, imaginem que estão numa interação com a vossa criança e ela diz “ó” – podem no imediato oferecer-lhe cócegas e explicar-lhe que como disse “ó” pareceu que estava a pedir por cócegas (mesmo que não tenha sido essa a sua intenção). 

Quando estiverem na brincadeira das cócegas modelem o som / sílaba que ela poderá usar para pedir por mais cócegas. Ao fazer isso, a criança irá ouvir várias vezes o som / sílaba na brincadeira e será mais fácil para ela associar essa verbalização ao que está a acontecer.

Quando queremos ajudar as nossas crianças a dizer algumas sílabas / palavras específicas para pedir por algo, queremos ter a certeza que apresentamos essa sílaba / palavra, de forma clara e fácil de ouvir. E a melhor forma de o fazer é isolar essa sílaba e/ou palavra – para que as nossas criança ouçam apenas isso, para que não haja distrações para outras sílabas / palavras 

Mesmo que a vossa criança ainda não fale, não tenham receio de solicitar linguagem. É hora de a desafiar a usar mais a parte da comunicação verbal e dificultar um bocadinho. Da próxima vez que a vossa criança comunicar convosco por comunicação não verbal como apontar/puxar-vos para o que quer… façam uma pausa e solicitem um som / sílaba. Como por exemplo “Oh eu sei que queres qualquer coisa. Usa os teus sons e irei a correr buscar o que precisas!” ou se por exemplo sabem que quer a bola podem também solicitar desta forma “Será que é a bola que queres? Se for, podes dizer “bo” que eu vou a correr buscar!”. Esta parte de solicitar, façam-no apenas quando sabem claramente que a vossa criança quer algo e vos o está a pedir recorrendo a outras estratégias que não sejam a comunicação verbal. 

Para começar, aconselhamos a que escolham sons úteis. Escolham sons de coisas que a criança quer ou gosta muito neste momento (ca para carro, bo para bola, etc etc) e/ou ações que podem fazer que sejam divertidas (ba para balançar, có para cócegas, etc etc).

Quando a vossa criança não recorrer à comunicação verbal para vos pedir algo, façam-se de “desentendidos” – querem ajudá-la e dar o que precisa mas precisam do poder dos seus sons para perceber melhor 🙂 

Outro factor fundamental é celebrar toda e qualquer tentativa de comunicação que a criança tenha convosco. Mesmo que ela já tenha avançado nesta área, continuem a celebrar muito! Celebrem sons, celebrem palavras, partes de palavras, pequenas frases e expliquem o que estão a celebrar como por exemplo “Obrigada por usares as tuas palavras, gosto imenso de ouvir a tua voz!”. Tentem variar nas celebrações: podem dançar, pular, dar uma cambalhota, dar mais ênfase às expressões corporais e faciais… etc. É muito importante reforçar e celebrar todas as suas tentativas pois queremos transmitir-lhe confiança e que acima de tudo, acreditamos a 100% na sua capacidade de verbalizar. As celebrações/elogios vão ajudar a vossa criança a sentir-se bem sucedida e por consequência mais confiante e motivada para continuar a desenvolver esta área.