Qual o segredo para construir uma relação com a minha criança com autismo?

As nossas crianças têm interesses muito pouco comuns e na maioria das vezes, bastante restritos. Estes interesses pouco comuns e restritos, acaba por muitas vezes nos limitar e dificultar nas ideias de atividades / brincadeiras / jogos que gostaríamos de fazer com elas e nas quais gostaríamos que participassem. Mas a verdade é que não precisamos de mais jogos / atividades / brincadeiras. Podemos começar com algo bem simples como: 

  1. As motivações da minha criança 
  2. Juntar-nos aos interesses dela 

Por norma temos tendência a comparar as nossas crianças a outras crianças da sua idade mas a verdade é que cada criança é uma criança e cada criança terá as suas especificidades, interesses e desafios. E o facto de a nossa criança ter essas diferenças não faz dela menos, nem mais. Faz dela única, como cada criança é. 

Quando estamos com uma criança temos que olhar para ela como ela é e começar com o que faz sentido para ela vs o que é suposto fazer ou o que os outros fazem.

Se a minha criança passa horas a abanar fitas de papel, vamos tentar construir uma relação a partir daí – pois é onde tem o foco nesse momento. Vamos ao encontro da nossa criança em vez de tentar desviar a sua atenção para coisas que neste momento não lhe interessam. Não quer dizer que um dia não terá interesse, mas neste momento não é o que lhe faz sentido, portanto vamos seguir o seu ritmo e dar-lhe tempo para vir na nossa direção, quando ela estiver pronta e sentir que é o momento. 

Para começar observa o que tua criança faz. Quando a tua criança está sozinha, o que procura? O que lhe cativa atenção? O que procura de forma espontânea? Que tipo de coisas / atividades, relaxam, fazem sorrir? 

Se for mais fácil, faz uma lista. Durante uma semana observa a tua criança sem fazer nada. Observa e tenta perceber. Coloca os teus óculos detetives e observa sem julgamentos, sem ideias pré concebidas do que está certo / errado. Observa a tua criança e tenta olhar para as coisas através dos seus olhos. 

Quando tiveres a tua lista pronta e te sentires preparada/o, experimenta juntares-te às coisas que a tua criança já faz. 

Se a tua criança alinha objetos, começa a alinhar objetos à sua frente. Tira o momento para desfrutares do que estás a fazer e tentar perceber e sentir o que a tua criança sente quando tem este comportamento. 

Faz o comportamento durante uns momentos. Esvazia a mente e sente apenas. Se a tua criança passa horas a fazer este comportamento é porque retira algo de muito positivo dele e a melhor forma de perceberes o que poderá ser, é tentar colocares-te na sua pele. Sem medos, nem julgamentos, vai na direção da tua criança e permite-te sentir. 

Junta-te à tua criança alguns minutos e observa como reage. Junta-te sem esperar nada em troca mas abre o teu coração para as janelas de oportunidade que poderão surgir. 

Juntarmo-nos à nossa criança transmite-lhe uma mensagem muito poderosa que é: amo-te e aceito-te tal e qual como és.