67 results for tag: atitude


A importância e impacto da nossa atitude no trabalho com as nossas crianças

Muita gente pretende aprender as técnicas e as estratégias para trabalhar com uma criança com autismo e desvaloriza o papel da atitude. Acreditamos que o conhecimento e a educação é muito importante mas também defendemos, essencialmente, que é mais importante COMO fazemos e não apenas O QUE fazemos. Por mais que se tenha toda a técnica/estratégia, sem atitude dificilmente irá funcionar.  A nossa atitude tem um impacto enorme na responsividade da nossa criança, principalmente pelos seguintes aspectos: As crianças com autismo são mais sensíveis ao seu ambiente e, facilmente, se sentem sobrecarregadas. Têm dificuldade em ...

Celebrar: a sua importância e como utilizar esta técnica

Somos educados, inevitavelmente, a olhar para o que está errado, incorreto ou que está a falhar nas nossas vidas. E acabamos por nos esquecer de sermos gratos por aquilo que temos e pelas nossas pequenas vitórias. O mesmo acontece com a nossa reação para com as nossas crianças. Estamos mais focados para o que elas ainda não conseguem fazer, para aquilo que estão a falhar e a errar, e ignoramos as milhentas tentativas e sucessos delas de comunicar, interagir ou apenas brincar connosco. Está na altura de moldar e mudar esta ideia pré-concebida, onde olhamos para o que está mal, e começar a olhar para as pequenas (mas grandes) vitórias, ...

Atitude: o primeiro passo para a mudança.

Por vezes, mesmo querendo dando o nosso melhor e o nosso maior esforço, não conseguimos ter a atitude mais correta com a nossa criança. Sentimo-nos frustrados, cansados, chateados connosco próprios por não conseguir... Afinal, como é que consigo mudar?  Antes de querer mudar a sua atitude, observe-se e observe as suas crenças. Está a acreditar no seu potencial? Está a acreditar no potencial da sua criança? Que afirmações costuma dizer a si próprio? E à sua criança? Após refletir sobre as perguntas acima mencionadas, vamos ajudá-lo a mudar as suas crenças e as suas afirmações diárias para, depois, mudar a sua atitude. Um ...

Persistência Vs Coerção

Uma das coisas mais importantes que as crianças com autismo nos ensinam é a nunca desistir. A ser persistentes. Por vezes são precisas muitas horas de trabalho e até semanas, meses ou até anos para conseguirmos certos avanços com as nossas crianças, mas a longo prazo, é um trabalho que trará frutos incríveis. É importante acreditar, um dia de cada vez, e percorrer uma caminhada milímetro a milímetro, centímetro a centímetro, quilómetro a quilómetro para um dia juntos corrermos a maratona! Acreditamos que tudo é possível e as nossas crianças têm este fantástico dom de nos surpreenderem quando menos esperamos :-) Para sermos ...

Começar de Novo

  O que acreditamos sobre as pessoas que nos são mais próximas pode determinar como agimos com elas e as oportunidades que lhes oferecemos. Isto é particularmente verdade com os nossos filhos. É fácil tornarmo-nos complacentes em relação ao quão bem conhecemos os nossos filhos. Afinal de contas, conhecemo-los a vida toda e conseguimos prever como cada um deles filhos reage a certas situações, acertando muitas vezes. Assim, usamos isto como prova de que aquilo em que acreditamos sobre eles é verdadeiro. No entanto, os nossos filhos mudam e crescem todos os dias. Aqui, no Autism Treatment Center of America, acreditamos que os pais ...

As dificuldades de ter um filho com autismo e outras crenças!

"O difícil não o vêem? O meu filho tem 18 anos; sou pobre; ele não tem terapia e eu não durmo a pensar no seu futuro, tenho 60 anos, de que viverá ele?" As perguntas feitas por uma mãe não me surpreenderam. Estas são as mesmas perguntas que nós fazemos constantemente; todos os pais de crianças com autismo. Todos nós já não dormimos a pensar no futuro ... Mas vamos por partes. VER O DIFÍCIL: Há coisas que parecem ser dificuldades, vamos chamá-las de DESAFIOS. Eu gosto mais desta palavra porque nos obriga a ir mais longe do que pensamos, para superar um objetivo nosso, para ganhar a nossa própria competição . Por outro ...

Lembre-se destas 3 palavras se alguém olhar para si durante uma crise

Alguma vez esteve perante um olhar ou comentário desagradável? Nem consigo dizer quantas famílias conheço que lidam com este problema. Normalmente começa assim: você e o seu filho estão a passear num lugar público como um supermercado ou estão numa fila de um banco quando, de repente, o seu filho tem uma crise. Imediatamente, um desconhecido pensa para si mesmo que o seu filho está a fazer uma “birra” ou que é uma criança “mal comportada” que precisa de se comportar. Depois, esses mesmos desconhecidos podem fazer um comentário direcionado aos pais sobre como é que permitem que o seu filho se comporte daquela maneira. ...

5 motivos pelos quais devemos acreditar no potencial das nossas crianças

1. As nossas crianças sentem, e sentem muito. As crianças com Autismo têm dificuldades em lidar com estímulos internos e externos. Muitas pessoas julgam a criança com Autismo como se estivesse “ausente” quando o que realmente acontece é que ela está “hiper-presente”. Da mesma forma que algumas ouvem sons que nós não ouvimos, outras cheiram cheiros que nós não cheiramos... elas sentem com uma intensidade que nós não sentimos. Acontece frequentemente, quando tenho dias de maior stress, a minha enteada aparecer desde a outra ponta da casa para me vir dar um beijo ou dizer-me que gosta muito de mim - assim, “aparentemente” ...

Vamos estar mais presentes

Olhe hoje com novos olhos para a sua criança com Autismo. Em vez de a ajudar a mudar, pare um pouco para ver quem ela é. - O que a faz rir? - O que lhe agrada? - Se entregue a si própria o que gostaria ela de fazer? Quer a sua criança tenha 5, 15 ou 25 anos, é aqui que residem as verdadeiras raízes das relações e do crescimento social, no que a criança gosta mais de fazer. Junte-se a ela nisso e a relação irá surgir.  Kate Wilde, Autism Treatment Center of America

Vamos celebrar as pequenas (grandes!) vitórias

Estas mães estão todas a falar em quadros de honra, recitais de dança, jogos de futebol, saraus de ginástica… e eu estou aqui sentada a pensar “UAU! Ela provou um novo alimento E as meias não a incomodaram!” Autism Treatment Center of America, http://www.autismtreatmentcenter.org/